sexta-feira, 8 de julho de 2011

Histórias de sucesso... Vou contar...



Convido você a entrar no site do INSTITUTO ECOFUTURO.

Entre notícias, fotos, vídeos, concursos, projetos e programas, conheça as mais variadas ações...
Histórias de sucesso... Vou contar...


Uma história de sucesso... do primeiro evento... até hoje grandes revelações... Entrando no 7º Edição do Concurso Cultural.




Cada história aumenta um ponto... e todos contam seu conto...




LER É PRECISO
Um convite a ler e escrever pra vida toda...

Era uma vez...Rsrsrsrrsrsr

Quem conhece??? Contadora de história... KIARA TERRA...
Saber contar história é uma arte... envolvente, envolvida, envolve seu público e encanta...
É O QUE ELA FAZ... SEJA VOCÊ... CRIANÇA, JOVEM, PAIS E... Conta histórias pra todas as idades... gostos...

Veja:

São muitas... pra contarmos juntos... minhas, suas e nossas histórias....

"A escuridão é simplesmente a ausência de luz. Mas a fonte para iluminar o caminho está bem próxima: dentro de nós. Somos seres de luz. Quando conseguimos acender a percepção das nossas qualidades, todo o cenário se transforma. A vida adquire novas nuances. A alma humana se inunda de beleza." Minuto de Sabedoria (visite o site)

Histórias pra contar... histórias de valores...

Contar e (ou), ouvir histórias é muito bom... Estive sempre escolhendo livros para encantar, emocionar... histórias de valores. No final do ano passado saí da minha sala do infantil, para assumir a coordenação do Programa Mais Educação da escola, mesmo assim, continuei tendo a oportunidade de ler, contar , ouvir e de inventar muitas outras possibilidades... Mas o que me deixou encantada foi rever e entrar em contato mais de perto, com os meus ex-alunos. Na época, tinham seus seis anos. Hoje já com oito... quatorze anos... vem pra falar das histórias que líamos antes... Agora ao recontarmos as velhas e atuais histórias... uma nova felicidade!
Muito legal esta experiência!!!!
Outro dia um deles falou: _ Professora ainda lembro da história que você me contou...
Fomos a biblioteca, encontramos o livro " FIZ O QUE PUDE" em uma roda ...
CONTA OUTRA VEZ!!!!!



SINOPSE: Com a história do valente passarinho que não deixa de fazer a sua parte, o autor nos apresenta a floresta como a generosa mãe que tudo dá, e os animais como os filhos cheios de gratidão e reconhecimento pelas dádivas recebidas. Mas esta não é meramente uma história sobre a preservação do meio ambiente. É, mais do que isso, uma lição de cidadania. De um modo gostoso e descomplicado, o pequeno leitor pode ir tomando consciência de que ele também pode fazer a sua parte.


SOU PEQUENO, E DAÍ????
PEQUENO PODE TUDO , conta a história de um pequeno Pardal, fugindo da poluição e dos perigos da cidade, vai para a floresta. Lá, é rejeitado pelas outras aves, ...

PARA DESCOBRIR O VALOR DAS PEQUENAS PERGUNTAS E DAS VALIOSAS RESPOSTAS.



SINOPSE: O pequeno Pardal, fugindo da poluição e dos perigos da cidade, vai para a floresta. Lá, é rejeitado pelas outras aves, que zombam dele. Sentindo-se insignificante, envergonhado, ele resolve se esconder. Encontra um deserto e ali vai plantando sementes de árvores e flores, com paciência e persistência. Um dia, cai numa arapuca e fica um bom tempo preso numa gaiola. Quando, enfim, consegue se livrar e voltar para o deserto, encontra, no local, uma bela floresta. Percebe então o seu valor e descobre que é capaz de grandes feitos.


A verdade precisa ser sempre dita? A mentira é sempre errada?
A "Semente da Verdade" é uma deliciosa maneira de explicar às crianças o que é ética e como seguir o coração quando a vida nos pede para tomar decisões que não sào tão simples.



SINOPSE: O passatempo preferido do menino Thaí era cuidar do jardim. As cerejeiras, as orquídeas e outras plantas estavam sempre exuberantes. Quando o imperador chamou os meninos do reino para escolher seu sucessor, Thai foi correndo atender ao chamado do soberano, e ficou imensamente feliz quando o imperador disse aos garotos que o trono seria daquele que trouxesse a planta mais bonita, mais bem cuidada. Mas, infelizmente, por mais que Thai cuidasse com dedicação e carinho da semente, ela não brotou. Cheio de vergonha, ele apresentou o vaso contendo apenas terra.


E POR FIM... CONTE HISTÓRIAS... HISTÓRIAS DE VALORES!!!!!
EU INDICO...

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Histórias para se contar e compartilhar...

"Muitas vezes essa rede protetora, tensa e permanente, abençoada pelo mantra do politicamente correto, impede o contato da criança com fatos e emoções que deveriam ser os pilares do caráter e personalidade do adulto que ela será."
Com vocês...
MARCELO TAS
EM:

Viva o politicamente incorreto!


...O politicamente correto baixou aqui em casa de forma clara e pontual. Na leitura – não só consentida como solicitada...

Marcelo Tas


Ilustração Ricardo Gimenes

Há um dado inegável e preocupante na vida moderna: nunca as crianças foram tão analisadas, fotografadas e vigiadas antes mesmo de saírem das barrigas de suas mamães. Isso é muito bom: previne-se contra doenças, violência e outras pragas. Isso também é muito mau: com essa supervigilância estamos criando uma geração padronizada incapaz de experimentar a vida – esta eterna e misteriosa descoberta – na sua plenitude.

É fácil ver o tamanho da mudança: compare sua infância com a do seu filho. Não quero aqui estimular aquela lenga-lenga nostálgica do tipo “na minha época o mundo era melhor”. Quero apenas convidar você a avaliar o calibre da blindagem a que é submetida uma criança neste início de século 21.

Quase a totalidade das minhas brincadeiras de moleque se davam em ambientes públicos. O meu preferido, o pique de latinha, acontecia em plena rua com a participação de toda criançada do bairro. Eventuais automóveis que apareciam para atrapalhar a nossa atividade se desviavam envergonhados sob as nossas vaias! OK, isso faz tempo e eu vivia numa cidade pequena. Mas será que não podemos, ou devemos, estimular esse tipo de “luxo” às nossas crianças: a de voltarem a ser donas de seu tempo e espaço, incluindo aí os espaços públicos?

Conheço pais que se julgam bons pais justamente pelo contrário. Se orgulham de saber exatamente onde, quando e o que estão fazendo os seus pimpolhos, nas 24 horas do dia, dentro de suas rotinas confinadas. Há um sintoma alarmante que confirma esse verdadeiro Big Brother Familiar: 65% das crianças brasileiras já usam celular, sendo que, na faixa dos 9 anos, 24% possuem aparelho próprio (dados do Comitê Gestor da Internet do Brasil, 2009).

O gesto do pai que dá um celular para o filho não significa exatamente um estímulo à descoberta do mundo ou mesmo à comunicação com os amigos. Na imensa maioria dos casos, o celular na mão da criança tem a mesma função da coleira no pescoço do cachorro. É um instrumento de controle. Não creio que a maturidade emocional da criança seja compatível com a pressão e responsabilidade da prontidão para atender a um chamado de casa a qualquer momento.

Muitas vezes essa rede protetora, tensa e permanente, abençoada pelo mantra do politicamente correto, impede o contato da criança com fatos e emoções que deveriam ser os pilares do caráter e personalidade do adulto que ela será.

O politicamente correto baixou aqui em casa de forma clara e pontual. Na leitura – não só consentida como solicitada, eu juro – do diário do meu filho Miguel tive acesso a uma queixa inusitada. Diante da questão “Qual a coisa mais triste que te aconteceu este ano?”, ele disparou sem pestanejar: a proibição de brincar de polícia e ladrão na escola. Proibir o polícia e ladrão para não estimular a violência me parece o equivalente a tentar resolver o problema da desigualdade social blindando os carros. Ou de combater o racismo proibindo Monteiro Lobato. Ou de diminuir a violência mudando a letra de “O Cravo Brigou com a Rosa”. Novos exemplos de politicamente correto, infelizmente, não param de surgir.

Não nego: ser pai nos tempos atuais é viver com uma palpitação extra no coração. Não creio, porém, que nenhuma “ameaça” justifique um investimento na blindagem da infância. É importante estar atento à segurança e saúde dos filhos. Igualmente importante é não deixar que o excesso de preocupação vire deficiência de afeto e liberdade.

MARCELO TAS é jornalista e comunicador de TV. Tem três filhos: Luiza, 22 anos, Miguel, 9, e Clarice, 5. É âncora do “CQC” e autor do Blog do Tas. Aceita com gratidão críticas e sugestões sobre essa coluna no e-mail: crescer@marcelotas.com.br

Daniela Toviansky



LER PARA CRESCER...

Visitar o site da revista CRESCER, sempre encontramos novidades...
E na coluna LER PARA CRESCER!!!!!!
Visite o site: http://revistacrescer.globo.com/
Hoje, encontrei livro-imagem... adorava trabalhar com as crianças, lembro, dávamos asas a imaginação e...
eles representavam a historinha da bruxinha...de forma magnífica...


Livro-imagem, livro-liberdade

Qual o valor da ilustração em um livro infantil? Livro só de imagem é literatura? Por que precisamos treinar nosso olhar diante de um livro ilustrado

Cristiane Rogerio

   Divulgação

Se você pegar alguns livros infantis mais antigos, pode conferir: em muitos deles os ilustradores sequer estão citados na capa. Por muitos anos – e há quem pense assim até hoje – a ilustraçãosempre se posicionava em segundo plano, era como um apoio para o texto. Hoje há dezenas e dezenas de exemplo – e já vi muito escritor assumindo isso, ainda bem – em que não há livro completo sem a ilustração. Ou seja, ela deixou de ter papel coadjuvante para dividir a contação daquela história com o escritor. Agora quem ainda luta pelo espaço é o livro só de imagem. Não, ele não “serve” só para crianças que ainda não sabem ler as letras. Ele é mais, muito mais. “Ler um livro ilustrado é também apreciar o uso de um formato, de enquadramentos, de relação entre capa e guardas com o seu conteúdo; é também associar representações, optar por uma ordem de leitura no espaço da página, afinar poesia do texto com a poesia da imagem, apreciar silêncios de uma em relação à outra... Ler um livro ilustrado depende certamente da formação do leitor”, escreve a francesa Sophie Van der Linden, no livroPara Ler O Livro Ilustrado, que a editora Cosac Naify acaba de lançar no Brasil. É uma belíssima definição dos caminhos que ainda temos que correr e de quanto a nossa formação cultural e educacional ainda tem lacunas a preencher. Quais são nossas referências para ler uma imagem? Um paradoxo curioso disso a gente percebe com as crianças. O livro-imagem, principalmente para os ainda não envolvidos completamente com a dependência da palavra escrita, gera uma liberdade da leitura. Uma imagem, um desenho, uma cena pode nos dizer muita coisa e coisas diferentes um para o outro. Coisas diferentes até mesmo do que o autor imaginou. Esta é a beleza de uma arte. “A ausência da palavra escrita exige mais da imaginação do leitor”, disse Isabel Coelho, editora da Cosac Naify, em encontro sobre o tema do qual participei semana passada na USP. E aí se instala outra contradição: quanto não ouvimos por aí que a imagem – seja ilustração, da TV ou do cinema – está limita ndo a nossa imaginação? Mas agora, ainda bem, vivemos novos tempos e o desafio é ter e dar acesso a mais livros somente com imagem (no Livros pra Uma Cuca Bacana, você pode procurar na seção “livros de imagem” e achar várias opções!). Mas há cada vez mais chegando ao mercado. Pegar um livro só de imagem é um exercício do olhar. É como nos emocionarmos com uma fotografia de Henri Cartier-Bresson, ou um quadro de Van Gogh. Se já nos rendemos a isso, por que esta resistência aos livros? Livro só de imagem é literatura, sim. E das boas. E precisamos estar com eles por perto para formar um leitor.

Ricardo Fiorotto

Cristiane Rogerio é editora de Educação e Cultura da Crescer e adora se perder entre os livros.

Fale com a colunista

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

EDUCAR E BRINCAR...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

TRAILERS - SLIDES - •Documentários, Entrevistas

EDUCAÇÃO - AMBIENTE - DESENVOLVIMENTO - POLÍTICA - ATITUDE - CULTURA 

NOSSOS MESTRES NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

A voz do autor no rádio...

Falar e ouvir... uma questão pessoal...

Um pouco de sua história...

Conversando com autores...

Tatiana Belinky, a escritora que queria ser Emília...

Histórias que nos acompanham...

PAI DA TURMA DA MÔNICA...

Uma contadora especial...

Histórias para ouvir e contar... O clássico mundial A Árvore Generosa.

A ARTE DE CONTAR HITÓRIAS...

A História Mais Longa do Mundo (adaptação)

História Marcelino Pedregulho (adaptação)

Divirtam-se... CRIANÇAS.

Projeto UCA

CAMINHO JOVEM... ESPERANÇA!!!!

Música com o corpo "Barbatuques"

"TEMPO...TEMPO...TEMPO... VOU TE FAZER UM PEDIDO"

O Ponto de Mutação de Fritjof Capra

A TEIA DA VIDA...

Educação Ecológica... Entevista com Capra.

Humberto Maturana e Ximena - Encontro... Reflexão... 1 de 8 vídeos

REPORTAGEM: Brincadeiras

Professora Vania Cavalari Psicomotricidade. ...

entre no site e assista a entrevista http://www.sabertv.net/portal/mediacenter/view/276/psicomotricidade/

POESIA DE AMOR...

texto "O direito de ser criança" de Ruth Rocha e som "Dias Melhores" de Jota Quest.

EDUCAR...

Limites...

<a href="http://video.msn.com/?mkt=pt-BR&amp;from=sp&amp;vid=0f517149-43f6-4d81-b88c-e520ef3b4d42" target="_new" title="Como lidar com o filhos dos outros">Video: Como lidar com o filhos dos outros</a>

Brincar é aprender...

Aprendendo sempre... PSICOMOTRICIDADE

http://www.animacorpus.net/psicomotricidade/

APRENDER E EDUCAR.

EDUCAR E BRINCAR... CRESCER...

Aprender...Educação Infantil.

Educar e aprender...

Infância- Tempo de construir valores...

Educar... filho faz por imitação...

Educar e aprender... Transformação...

Video = Ciência estuda o que e passa no cérebro dos bebês

Educar... Aprender...

EDUCAR E BRINCAR. APRENDER COM A NEUROCIÊNCIAS...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

A EMOÇÃO ESTAR NO AR....

MEU AMIGO BICHO!!!!!