sábado, 24 de julho de 2010

O BURACO

Apresento pra vocês esta história contada pela minha querida amiga Michelly Barros, histórias de vidas, histórias reais, que marcaram a alma com alegrias e tristezas, mas que fortalecem o humano existente em cada um de nós...
PARABÉNS!!!! PELO SEU EXEMPLO DE FORÇA E CORAGEM.

O livro "o Buraco" nasceu das minhas vivências quando morei em um lugar muito bonito, com pessoas reais e com experiências reais, no Conjunto Santa Terezinha. Por isso, da maneira mais fiel possível relatei fatos que ficaram marcados em minha memória de menina, de adolescente e de adulta. Meu objetivo era conseguir algo melhor para mim e para minha família, e através do estudo, da honestidade e da força de vontade consegui vencer obstáculos que pareciam intransponíveis. A luta diária pela sobrevivência podia ser notada em uma simples passagem de ônibus que faltava, na geladeira que não existia ou na violência cotidiana da periferia que acontecia ao pé do balcão da bodega, a qualquer hora, na frente de todos. Esse é também um livro onde há risos, brincadeiras de criança e acima de tudo muito esperança e fé em Deus. Por isso, convido a todos os leitores para viajarem a uma terra cheia de histórias, todas verdadeiras, com personagens verdadeiros que de alguma forma contribuiram para a formação de meu caráter e que me fizeram sonhar de forma mais ousada, mas sempre com os pés no chão.
MICHELLY BARROS




Gentileza gera gentileza

Uma história emocionante...

Divulgação

MENSAGEM

Gentileza gera gentileza

O Profeta Gentileza deixou suas palavras inscritas em 56 murais no viaduto do Caju, no Rio de Janeiro. Desde abril, essas pilastras estão sendo restauradas para devolver mensagens cordiais à cidade maravilhosa

Ainda bem que o protesto da cantora Marisa Monte na música Gentileza, do CD Memórias, Crônicas e Declarações de Amor, lançado em 2000, é coisa do passado. Um dos trechos da canção diz: “Apagaram tudo/Pintaram tudo de cinza/A palavra no muro/Ficou coberta de tinta”. Para quem não sabe, a cantora estava se referindo aos poemas de José Datrino, popularmente conhecido como Profeta Gentileza, que foram apagados pela Companhia Municipal de Limpeza Urbana (COMLURB), do Rio de Janeiro. Durante os anos 80 até sua morte, em 1996, Gentileza colocou vida, pintou letra por letra e deixou mensagens simples de sabedoria em 56 pilastras no viaduto do Caju, que vai do cemitério do Caju até a rodoviária Novo Rio, numa extensão de, aproximadamente, 1,5 km.

{txtalt}
Este é o profeta Gentileza que gera gentileza com amorrr e paz para um Brasil e um mundo melhor. Meus filhos não usem problemas usamos a natureza. (Frase original extraída da pilastra número três)
Ele escrevia numa altura em que suas palavras pudessem ser apreciadas pelas pessoas que passassem de ônibus pela região. Talvez sem premeditar, ao numerar as pilastras Gentileza acabou formando uma espécie de livro urbano. “Cada um dos murais não se encerra em si mesmo como um quadro isolado”, explica o amigo Leonardo Guelman, autor do Livro Univvverrsso Gentileza, (ed. Mundo das Ideias). Com o passar dos anos, os murais foram danificados por pichadores, sofreram vandalismo e o resto da história você já conhece. Felizmente, a ação da COMLURB gerou críticas e, com a ajuda da prefeitura, foi organizado o projeto Rio com Gentileza para restaurar os murais das pilastras. No início de 2000, a restauração foi concluída e o patrimônio urbano carioca preservado.

Desde o final de abril, após dez anos de desgaste, quatro artistas plásticos iniciaram uma nova restauração, a partir da pilastra número um, no km zero da Avenida Brasil. Era desse ponto que Gentileza dava as boas-vindas a quem chegasse à cidade maravilhosa. “A emoção dessa conquista é que a mensagem de Gentileza está sendo cada vez mais difundida, se espalhando pelo imaginário das pessoas”, esclarece Dado Amaral, autor de dois curtas-metragens sobre o folclórico profeta: Gentileza, em 1994, e Porr Gentileza, em 2002.

VOZES DO ALÉM
Afinal de contas, de onde surgiu esse homem que se fundiu à paisagem carioca? Datrino nasceu em 1917, na cidade de Cafelândia, no interior de São Paulo. De família humilde, trabalhava na terra e com a lida de animais. Desde menino, puxava carroça vendendo lenha nas proximidades. O campo o ensinou a amansar burros para o transporte de carga. Tempos depois, como profeta Gentileza, se dizia “amansador dos burros homens da cidade que não tinham esclarecimento”. Com 13 anos, passou a ter premonições sobre sua missão na Terra. Com 20 anos, desembarcou no Rio de Janeiro, onde se casou, teve cinco filhos e trabalhou na área de transportes de carga.

Em 1961, um episódio trágico mudou definitivamente os rumos de sua vida. Perto do Natal, um incêndio de grandes proporções destruiu o Gran Circus Norte-Americano, em Niterói (RJ), matando mais de 500 pessoas, a maioria crianças. Logo após o episódio, associando a queima do circo à metáfora do incêndio do mundo e alegando ter escutado um chamado, deixou tudo para trás e decidiu viver de e para a gentileza.

http://planetasustentavel.abril.com.br

SONHAR, SONHAR...ACREDITAR E REALIZAR.


Acreditar que tudo vai mudar, nos transformaremos realizando sonhos... Sonhos de amor, sonhos de paz...

Como nos fala o trecho da música de Jota Quest e Rogério Flausino...

Lições e atitudes ...

DIAS MELHORES

"Vivemos esperando
Dias melhores
Dias de paz, dias a mais
Dias que não deixaremos
Para trás..."

ATITUDE

LIÇÃO DE VIDA

Sabático: Paris com outro olhos

O sonho de morar em Paris e a vontade de aprender um novo idioma levaram Mariana Del Grande à Cidade Luz. Mas ela não sabia a incrível experiência que viveria ao desembarcar na capital francesa: ela trabalhou como guia de um advogado francês cego que lhe mostrou uma nova forma de “ver” a vida

- A A +

Na faculdade, eu cultivei um sonho: morar na charmosa Paris e aprender a falar francês. No último semestre, comecei a fazer aulas do idioma e a poupar meu dinheiro. Na época, eu já estagiava em uma empresa e, assim que me formei, fui contratada. Mesmo assim, eu sentia que aquele era o momento certo! Tive estímulo do meu chefe na época. Ele conseguiu me dar uma licença não-remunerada de nove meses e, com tudo conspirando a favor, em 13 de junho de 2002 desembarquei na encantadora capital francesa.

Fui de coração totalmente aberto, pronta para viver todas as experiências. A mais incrível aconteceu sem querer, quando conheci um simpático advogado francês de 72 anos. O detalhe principal: ele era cego. Trabalhei para ele um ano como fille-au-pair (no caso dele, uma espécie de guia), e Monsieur Sayn me proporcionou uma experiência única, que mudou minha forma de ver o mundo para sempre. Eu o acompanhava a óperas, peças de teatro, clubes de jazz, excelentes restaurantes, conheci pessoas interessantes e fiz viagens por vários países da Europa.

Foi um período que permitiu que eu reavaliasse minha vida. E a falta de visão dele fazia tudo isso ser muito especial. Um dia, ele me disse: "Marrianá, como eu não enxergo desde os meus 23 anos, o espelho não é meu inimigo. A imagem que tenho de mim mesmo ainda é de jovem, sonhador". Hoje, eu o completaria dizendo: e a juventude não morre enquanto realizarmos nossos verdadeiros sonhos. Salut!


*São muitos exemplos em "ATITUDE"... Modelos para nos inspirarmos, vale a pena confirir...







http://planetasustentavel.abril.com.

ALIMENTAR SONHOS E DESEJOS...

Filosofar é preciso para continuar caminhando, vivos, temos a obrigação de alimentar sonhos e desejos, com certeza sermos felizes. Adorei o artigo da filósofa Dulce Critelli, uma reflexão que me chamou atenção. Por sempre ter em mente, a possibilidade de sermos marionetes. Muito criança, me vinha esta indagação: Quem realmente nos fazia andar, dar vida, falar e cantalolar??? Rssrsrsrsrsrsrsr


“Acreditamos que podemos controlar tudo, o que é uma ilusão. Quando compreendemos isso, nos frustramos profundamente”,

"...Afinal, por acaso ou por uma série de coincidências armadas pelo destino, estamos vivas e devemos continuar alimentando nossos sonhos e desejos."
Dulce Critelli, filósofa e terapeuta existencial


Acaso ou destino?Surpreendidos por acontecimentos enigmáticos, questionamos se a vida é uma sucessão de fatos aleatórios ou se somos marionetes nas mãos do destino. Certezas a esse respeito não existem. No entanto, o debate nos faz pensar sobre a importância de fazermos boas escolhas.Texto • Raphaela de Campos MelloA vida é cheia de coincidências. Sonhamos com um conhecido e, no dia seguinte, o encontramos na fila do banco. Procuramos um novo emprego e, por incrível que pareça, descobrimos numa festa que o amigo do amigo precisa de uma funcionária com o nosso perfil. Há, ainda, alguns felizardos que, por se atrasarem dez minutos, perdem o embarque e se safam de um acidente aéreo fatal. Mistérios. Muitos mistérios. Poderia preencher as páginas desta reportagem apenas com exemplos desse tipo. No entanto, o objetivo aqui é investigar se as chamadas coincidências revelam a interferência do destino em nossa biografia ou se os eventos da vida, mesmo aqueles mais enigmáticos, são frutos do acaso e ponto final.

Segundo a filósofa e terapeuta existencial Dulce Critelli, coordenadora do Existentia – Centro de Orientação e Estudos da Condição Humana –, em São Paulo, essa discussão tem como pano de fundo uma temática fundamental da existência: a liberdade humana. “Quando questionamos se somos vítimas do acaso ou não, estamos sondando se o homem realmente tem poder sobre a vida, ou seja, se é livre para construir sua história”, ela observa.

A resposta depende das ferramentas que usamos para decifrar o mundo. A ciência se vale de lentes empíricas. Para a física, nenhum fenômeno é aleatório, e sim movido por alguma força, como a gravitacional, por exemplo. “Sabemos que leis testadas e comprovadas moldam o Universo. Portanto, as interações na natureza são manifestações dessas forças”, afirma Adilson de Oliveira, professor do Departamento de Física da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Outro recurso utilizado por esse campo é a estatística. “Em face de problemas complexos e cercados de inúmeros fatores externos, como a questão climática, trabalhamos com probabilidades, uma maneira de descrever estatisticamente os fenômenos e de fazer previsões”, acrescenta.

Para ilustrar esse saber, o físico cita o seguinte exemplo: se jogarmos um tabuleiro cheio de letras para o alto, é possível que o emaranhado vire um texto coerente ao cair no chão? “Há uma chance entre todas as combinações possíveis de que isso aconteça. Portanto, é provável, mas difícil de prever.” Logo, se o extraordinário episódio ocorrer, você não estará diante de uma coincidência, e sim de uma probabilidade que se concretizou, conforme o cálculo estatístico havia apontado.

“As coisas não estão separadas. O mundo interno é tão real quanto o externo”,
Cristina Balieiro, psicoterapeuta junguiana

Dimensão simbólica
Essa é apenas uma maneira de perceber o mundo. Existem outras tantas mais simbólicas e, portanto, menos racionais. Ciente disso, o psiquiatra suíço Carl G. Jung (1875-1961), fundador da psicologia analítica, farejou algo a mais por trás de determinadas coincidências. “Certa vez, num atendimento, uma paciente de Jung contava-lhe que havia sonhado com um escaravelho. E, em seguida, o tal inseto apareceu na janela da sala”, conta Cristina Balieiro, psicoterapeuta junguiana e coautora de
O Feminino e o Sagrado – Mulheres na Jornada do Herói (ed. Ágora), junto com Beatriz Del Picchia.

Depois de observar por décadas episódios semelhantes, o psiquiatra cunhou o termo sincronicidade. “O conceito se aplica a fenômenos que não possuem uma relação causal, mas sincrônica. No famoso caso do escaravelho, o animal não apareceu porque fora mencionado na conversa. No entanto, por alguma razão, ele apareceu”, pondera Cristina. O motivo da aparição, segundo ela, é puramente simbólico. “Trata-se de uma visão sutil e carregada de significados que escapam à racionalidade, mas que fazem todo sentido para a psiquê, que se expressa por meio de símbolos”, explica a psicoterapeuta. Em outras palavras, é como se essas ocorrências, que podem ser simultâneas ou não, fossem sinais ou imagens que refletissem no exterior um estado interior. Ela própria vivenciou um episódio emblemático. “Estava num restaurante com uma amiga que vivia um momento de transição. Comentei que ela estava na fase do casulo e que dali sairia uma borboleta. Não é que nessa hora o inseto apareceu no local?”, conta, entusiasmada. Na ocasião, aquilo soou como uma confirmação, uma evidência de que a tal amiga estava no caminho certo. “Ficar atenta aos significados de eventos sincrônicos não é o mesmo que ser uma pessoa mística. Essa é apenas uma forma de dialogar com a alma. Afinal, as coisas não estão separadas. O mundo interno é tão real quanto o externo”, opina Cristina.


Um toque em nossas vidas, transformações...

terça-feira, 20 de julho de 2010

DIA DO AMIGO(A)!!!!


Hoje é o dia do amigo!!!!! Aos meus amigos, desejo de paz, de saúde, de felicidades e de eternos encontros... Presenciais ou virtuais, amigos para sempre!!!!


Mensagens em Flash de Amizade Para Orkut - MensagensMagicas.com



SÍNTESE DA FELICIDADE
(Carlos Drummond de Andrade)

Desejo a você

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Filme do Carlitos

Chope com amigos

Crônica de Rubem Braga

Viver sem inimigos

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Ver a Banda passar

Noite de lua Cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Não Ter que ouvir a palavra não

Nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender um nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa

Um violão

Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Bater palmas de alegria

Uma tarde amena

Calçar um velho chinelo

Sentar numa velha poltrona

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco

Bolero de Ravel

E muito carinho meu.

domingo, 18 de julho de 2010

PRESENTE!!!

Na passagem de meu aniversário, recebi de um grupo de amigas o presente a assinatura da Revista Pátio, era um desejo meu, há muito tempo. Agora de férias, refaço leituras... Os exemplares são da revista pedagógica e os dois primeiros exemplares trazem maravilhosas contribuições, um presente valioso para o nosso cotidiano escolar...
Mesmo sem ser assinantes podemos ler alguns artigos no próprio site da revista


A revista de edição 54 referente aos meses maio/Junho de 2010
Dos variados artigos que nos trazem inúmeras reflexões, as lições são muitas, destaco este da mestre em Ciências, pesquisadora de Educação Ambiental, Deise Keller Cavalcante



Diferentes autores tem destacado a importância da educação ambiental na atualidade e todos são unânimes em destacar a escola... (revista p. 12)

" A escola pode ser considerada como um dos locais privilegiados para a educação ambiental, que, numa pespectiva de educação integral e integradora, deve permear todas as disciplinas, envolvendo professores de todas as áreas do conhecimento."

Ela cita
Carvalho(2004, p.60), é fundamental levar a sério a noção de aprendizagem, entendida como processo capaz de operar mudanças cognitivas, sociais e afetivas importantes, tanto nos indivíduos e grupos quanto nas instituições.

e Morin (2001) chama de conhecimento pertinente, que possibilita"Aprender os problemas globais e fundamentais para neles inserir os conhecimentos parciais e locais". Neste dois saberes, tem-se a busca implícita de um conhecimento complexo e não fragmentado, que se amplia continuamente, sem, contudo, ser conhecimento totalizador.

A simplicidade metodológica da educação ambiental deve estar presente no dia a dia da comunidade escolar...

Brincadeira de criança, como é bom!!!!

Uma amiga enviou-me uma mensagem que adorei!!!!
"Capturando o vento" Segui os passos...
O texto a seguir fala do entusiasmo e o filme retrata da alma de quem o elaborou... É impressionante como a criatividade de alguns publicitários nos trazem emoções boas.
Da história, lenda e seus significados, o que mais me chamou a atenção foi a brincadeira de criança, a alegria, a emoção. Você pode confirmar, no segundo passo, assistindo
ENTUSIASMO

A palavra entusiasmo vem do grego e significa "ter um deus dentro de si". Os gregos eram politeístas, isto é, acreditavam em vários deuses. A pessoa entusiasmada era aquela "preenchida" por um dos deuses e por isso poderia transformar a natureza e fazer as coisas acontecerem. Assim, se você fosse entusiasmado por Deméter (deusa da Agricultura, chamada Ceres na mitologia romana) você seria capaz de fazer acontecer a melhor colheita, e assim por diante. Segundo os gregos, só as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer os desafios do cotidiano, criar uma realidade ou modificá-la. Portanto, era preciso entusiasmar-se, ou seja, "abrigar um deus em si"! Por isso, as pessoas entusiasmadas acreditam em si, agem com serenidade, alegria e firmeza. E acreditam igualmente nos outros entusiasmados. Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso. O entusiasmo é bem diferente do otimismo. Otimismo significa esperar que uma coisa dê certo. Entusiasmo é acreditar que é possível fazer dar certo.

Após a leitura, assista o filme anexo que ilustra bem o texto. "São 92 segundos"

RECORDAR É VIVER!!!!

Se fossi tu fare la città ...
como la faresti?
Diz um ditado popular que "Recordar é Viver", vivo recordando, tentando não esquecer...
Da bela Itália (più bella).
Na mente trago muitas recordações das pessoas que conheci, das emoções que senti, das lições que aprendi, dos lugares que visitei, das paisagens que deslumbrei... da língua falada entre tantos dialetos, das conversas... Mas são lindas as minhas lembranças, como estas, que falam as poesias de Roberto Piumini.

Primavera profumata

Quando la terra
è giovane e fresca,
quando la testa
è piena di festa,
quando la terra
splende contenta,
quando di erba
odora il vento,
quando di menta
profuma la sera
è Primavera.


COMPARTILHANDO... IDEIAS...

Estamos sempre compartilhando ideias, partindo de histórias e trabalhos de pesquisas, cada hora despertando nosso olhar, fazer e falar... de ontem, de hoje e de um futuro... FUTURO???
Estou postando o texto do Cássio, tenho-o visto em boa parte do seu dia, muitas horas, dedicando-se a estudar, pesquisar, investigando e descobrindo...
Minha homenagem e meu especial carinho.

*

Cassio Utsch - www.creditos-de-carbono.blogspot.com

terça-feira, 6 de julho de 2010

GUETOS OU FEUDOS???

Prezados amigos,
Fico algumas vezes me recordando das aulas de história da professora Dolores no Villalva, em mil e novecentos e bolinhas. Os Feudos e seus Nobres mantinham sob sua "proteção" uma leva de miseráveis e famintos que eram obrigados a trabalhar em regime de escravidão, em troca de uma suposta proteção.
Pois bem, estamos fazendo o caminho inverso e agora com uma velocidade espantosa, em menos de cinquenta anos conseguimos retornar à idade média, com alguns agravantes, nossos cavaleiros usam coletes à prova de balas AR15 e munição pesada no lugar das armaduras e lanças de combate, nos jogos de estratégia de Gengis Khan, já não existem tabuleiros e sim grandes morros, com suas facções e cores, quase sempre doloridas, nas fogueiras inquisitórias não estão os hereges, mas os que questionam o poder e os motivos deste domínio...
Se as relações existem e são tão claras, onde poderemos encontrar um Arthur, para reunir em sua Távola redonda (bares de Brasília, ou chopinho em Ipanema?), nobres idealistas; Bem, parece que por estes a história passam direto, sem dar chances para que apareçam e lutem, afinal todos tem um preço e os detentores do poder sabem como pagar, ou com a vida (Dorothy Stang) ou com algumas moedas, para os mensalistas dos congressos e outras casas de prostituição.
No lugar dos atuais micro-ondas para se comer pipocas em condomínios onde ficamos trancados em liberdade vigiada, os Lordes dos morros e das facções nos apresentam a sua versão low tech, para "estourar" as pipocas que tentam entregar o serviço.
Até quando??? Se a próxima fase deste Game seguir a lógica inversa, estamos para entrar no reinos dos Barbáros, que matavam e queimavam aldeias inteiras, só para não ter o ônus de manter prisioneiros ou escravos e em breve teremos Cristo descendo dos céus e sendo atingido no seu lado direito por algum desvairado cheio de crack com uma sub-metralhadora em punho, pensando tratar-se de algum concorrente tentando tomar o seu "ponto".
Think About!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

EDUCAR E BRINCAR...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

TRAILERS - SLIDES - •Documentários, Entrevistas

EDUCAÇÃO - AMBIENTE - DESENVOLVIMENTO - POLÍTICA - ATITUDE - CULTURA 

NOSSOS MESTRES NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

A voz do autor no rádio...

Falar e ouvir... uma questão pessoal...

Um pouco de sua história...

Conversando com autores...

Tatiana Belinky, a escritora que queria ser Emília...

Histórias que nos acompanham...

PAI DA TURMA DA MÔNICA...

Uma contadora especial...

Histórias para ouvir e contar... O clássico mundial A Árvore Generosa.

A ARTE DE CONTAR HITÓRIAS...

A História Mais Longa do Mundo (adaptação)

História Marcelino Pedregulho (adaptação)

Divirtam-se... CRIANÇAS.

Projeto UCA

CAMINHO JOVEM... ESPERANÇA!!!!

Música com o corpo "Barbatuques"

"TEMPO...TEMPO...TEMPO... VOU TE FAZER UM PEDIDO"

O Ponto de Mutação de Fritjof Capra

A TEIA DA VIDA...

Educação Ecológica... Entevista com Capra.

Humberto Maturana e Ximena - Encontro... Reflexão... 1 de 8 vídeos

REPORTAGEM: Brincadeiras

Professora Vania Cavalari Psicomotricidade. ...

entre no site e assista a entrevista http://www.sabertv.net/portal/mediacenter/view/276/psicomotricidade/

POESIA DE AMOR...

texto "O direito de ser criança" de Ruth Rocha e som "Dias Melhores" de Jota Quest.

EDUCAR...

Limites...

<a href="http://video.msn.com/?mkt=pt-BR&amp;from=sp&amp;vid=0f517149-43f6-4d81-b88c-e520ef3b4d42" target="_new" title="Como lidar com o filhos dos outros">Video: Como lidar com o filhos dos outros</a>

Brincar é aprender...

Aprendendo sempre... PSICOMOTRICIDADE

http://www.animacorpus.net/psicomotricidade/

APRENDER E EDUCAR.

EDUCAR E BRINCAR... CRESCER...

Aprender...Educação Infantil.

Educar e aprender...

Infância- Tempo de construir valores...

Educar... filho faz por imitação...

Educar e aprender... Transformação...

Video = Ciência estuda o que e passa no cérebro dos bebês

Educar... Aprender...

EDUCAR E BRINCAR. APRENDER COM A NEUROCIÊNCIAS...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

A EMOÇÃO ESTAR NO AR....

MEU AMIGO BICHO!!!!!