sábado, 24 de abril de 2010

EDUCAÇÃO INFANTIL...Leituras, reflexão...

Este ano retomo o trabalho na educação infantil com muita alegria, então crianças são sempre crianças, nas diferentes idades, tem que se pensar como agir: educar, cuidar e brincar. Como e quando adequar regras e limites as estas crianças menores...
É com o autor Celso Gutfreind que venho refletir, através do sua entrevista a revista Pátio. Podemos fazer considerações e repensar como desenvolver a capacidade de ter autonomia, transgredir e ainda assim, aprender a ter limites, questões estas difíceis para a maioria de nós.

"O limite tem um lugar essencial na formação infantil, pois permite que as crianças aprendam a lidar com a diferença, a assumir a si próprias e suas limitações e a acolher aos outros. É assim que aprendemos uma questão essencial para nossa época: não somos onipotentes."
Destaque

ENTREVISTA

Celso Gutfreind

Ano VIII - Nº 23 - Limites na primeira infância - Abril 2010 / Junho 2010

Entrevista

Celso Gutfreind

O limite tem um lugar essencial na formação infantil, pois permite que as crianças aprendam a lidar com a diferença, a assumir a si próprias e suas limitações e a acolher aos outros. É assim que aprendemos uma questão essencial para nossa época: não somos onipotentes. Essa é a visão de Celso Gutfreind, psiquiatra da infância e da adolescência e escritor. Como escritor, ele tem diversos livros publicados, entre poesia e histórias infantis, com textos traduzidos para espanhol, francês e inglês. Como médico, especializou-se em Medicina Geral Comunitária, Psiquiatria e Psiquiatria Infantil. Realizou na França mestrado e doutorado em Psicologia Clínica e pós-doutorado em Psiquiatria Infantil no grupo hospitalar Pitié-Salpetrière da Universidade Paris VI. Atualmente, Celso Gutfreind é professor da Faculdade de Medicina e do mestrado em Saúde Coletiva da ULBRA e da Fundação Universitária Mário Martins. Nesta entrevista, ele fala sobre a difícil tarefa de formar a noção de limite no universo infantil numa sociedade em que o princípio do prazer exacerbado não conhece limites. Sonia Montaño

O que de fato acontece nos primeiros seis anos
de vida?


Essa etapa é decisiva do ponto de vista físico, neurológico e emocional. É nessa idade que se desenvolvem o cérebro, o coração, os rins, o sistema endócrino, a capacidade de sentir, de criar, de inventar, de subjetivar, de abstrair. Pontos fundamentais na capacidade de agir e pensar.

Quando a noção de limites começa a aparecer na vida da criança?

Há 30 anos, seria possível dizer: quando ela deixa de ser bebê, em torno de 2, 3 anos. Atualmente, com o avanço do conhecimento sobre os bebês, responder a tal pergunta tornou-se mais difícil. No entanto, a partir das observações das interações precoces entre pais e bebês, podemos pensar que ainda no primeiro semestre de vida, ou seja, no bebezinho, há indícios de que processos em busca de autonomia e diferenciação já estão sendo construídos, havendo, portanto, o que podemos considerar esboços de uma noção de limites. O fato de que uma noção absoluta não existe nem na vida adulta permite-nos confirmar que essa hipótese faz algum sentido.

Nosso contexto cultural apresenta dificuldades específicas à noção de limite?

Aspectos culturais influenciam em tudo. Uma cultura que estimula o consumo de carne demais ou que estimula mulheres magras demais influencia tanto a saúde quanto a vida emocional das pessoas. Os aspectos culturais sempre são positivos e negativos. A noção de limites envolve o longo e sempre inacabado caminho do princípio do prazer ao princípio de realidade. O ponto mais importante de uma sociedade narcicista como a nossa é que ela tem menos limites. O princípio de prazer leva a buscar tudo o que se quer e o de realidade leva a aceitar que há limites na ambição, no ganho, no combate da dor. As pessoas costumam medicar-se para qualquer dor física ou emocional, por exemplo. É nesse contexto que se dá a incapacidade de criar limites para as crianças.

Como ocorre o processo de assimilação do limite por parte da criança?

Ocorre no contexto de uma relação com o adulto. É no fundo desse encontro, com todas as qualidades e defeitos, que a noção vai sendo transmitida, assimilada, transformada, adquirida. Essas noções podem ser aprofundadas se observamos que o encontro de um bebê com um adulto tem aspectos concretos ou reais, afetivos, fantasmáticos e culturais.

...

Leia a entrevista completa pelo site

http://www.revistapatio.com.br

Notícias...

Educação... O que vem acontecendo...

17h59


SP sanciona lei que incorpora gratificação dos professores

23 de abril de 2010 20h54

O governador de São Paulo, Alberto Goldman, sancionou nesta sexta-feira o projeto de lei que prevê reajustes nas escalas de vencimentos dos servidores da educação, que inclui professores, diretores de escola, supervisores de ensino e dirigentes regionais de ensino. O projeto, elaborado pelo governo do Estado, havia sido aprovado no plenário da Assembleia Legislativa na última terça-feira.

O reajuste nas tabelas será feito em três parcelas por meio da incorporação da Gratificação de Atividade de Magistério (GAM) - 1º de março de 2010, 1º de março de 2011 e 1º de março de 2012. A absorção total, correspondente a 15% do salário mensal recebido pelo servidor, acontece em 2012, quando a GAM será extinta, de acordo com a Assembleia Legislativa.

A medida beneficiará 255 mil servidores ativos, 127 mil inativos e 23 mil pensionistas, totalizando 405 mil profissionais do magistério. O custo total com a proposta será de R$ 542 milhões, sendo R$ 80 milhões para os ativos e R$ 462 milhões para inativos e pensionistas. Somente este ano, o custo será de R$ 162 milhões.

Segundo o governo, a medida atende a uma antiga reivindicação de todo o magiestério, exigida por entidades representativas do professorado. O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeopesp) informou em seu site que o governo estadual manteve a intransigência ao impor a incorporação da GAM em três parcelas, quando deveria ser paga apenas em uma, conforme reivindicação dos professores.

Redação Terra
http://noticias.terra.com.br

sexta-feira, 23 de abril de 2010

ESCOLA DA PONTE... JOSÉ PACHECO EM FORTALEZA.

"Não podemos adiar nossa vida até nos sentirmos preparados. Uma das características da vida é a sua urgência, o aqui e agora, sem possibilidades de adiamento."


...Ainda não fui a ESCOLA DA PONTE...







Ontem tivemos (eu e algumas amigas) o enorme prazer de conhecer o autor de um dos maiores projetos, ou melhor dizendo, um dos mais espetaculares projetos de todos os tempos... A ESCOLA DA PONTE, a reinvenção da escola... A escola das convivências... exemplo de muitos anos de amor, respeito e de cidadânia.

... Além de seus cabelos brancos...Um pouco da história...

Histórico
A Escola surgiu do desejo de sefazer uma escola que respeitasse as diferenças individuais e tratasse os alunos com amor.
Estrutura
Os alunos formam grupos heterogêneos, e não estão classificados por turmas, nem anos de escolaridade, não há lugares fixos, nem salas de aula e a escola encontra-se numa área aberta. Não há um professor encarregado de um grupo, em vez disso, todos os alunos trabalham com todos os professores.
Instrumentos Pedagógicos
Definição dos Direitos e Deveres:
A cada ano os alunos decidem democraticamente na Assembleia da Escola, os Direitos e Deveres que consideram fundamentais para aquele ano.

Educar um ato de amor!!!!!

O evento proporcionado pela Edições SM " educar é tudo", trouxe a Fortaleza o professor

JOSÉ PACHECO Mestre em Educação da Criança pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (Portugal), foi um dos idealizadores da Escola da Ponte. Tem experiência educacional reconhecida internacionalmente. Publicou, entre outros, Para os filhos dos filhos dos nossos filhos, e Escola da Ponte – formação e transformação.

O seminário CONVIVÊNCIA, DIÁLOGO, PARTICIPAÇÃO: CONDIÇÃO DE APRENDIZAGEM , foi conduzido pelo mestre com bastante descontração, contando com a participação de grupos de professores da capital, cidades vizinhas e do interior, aconteceu nesta quinta-feira as 19:30h no Hotel Praia Centro - Fábrica de Negócios, e mesmo com o final do evento, não queríamos ir embora...

UM PRESENTE...

Ouvimos o testemunho de algumas pessoas que já acompanham o trabalho. Professores e alunos que viram de perto o Projeto, escolas, alunos, histórias e exemplos ...
O Professor Pacheco falou-nos de um Brasil que nem todo mundo conhece, de pessoas, autores como Paulo Freire, Lauro de Oliveira Lima... Tão perto e tão longe...
Nos provocou, fez refletir, perguntar, responder, entusiasmar e reconhecer que precisamos de mudanças... Cada um de nós tem a responsabilidade de aprender... Aprender a aprender e juntos convivermos...
Para viver juntos, a escola precisa dialogar, democratizar e expandir seus olhares, suas concepções e se fazer plural.


E no Brasil temos exemplos de que é possível vivermos outras histórias...
A escola é procurada por uma crientela tal qual a nossa, alunos com problemas. Ao chegarem a escola, os alunos escolhem o que querem estudar,segundo área de interesse e daí desenvolvem projetos de pesquisas, tanto em grupo como individuais... Criam as regras de conviência que serão seguidas por todos, inclusive por educadores e pais, caso contrário precisam aprender cumprir ordens, obedecer.

José Pacheco falou que gosta, trabalha e acompanha projetos por todo o Brasil. Alguns já mostram resultados positivos... nos apresentou um vídeo de uma escola em São Paulo. E ainda falou de muitas que preferem o anonimato...

Por onde passa sempre é questionado de como poderíamos criar uma Escola da Ponte, ele incisivo diz: Em lugar nenhum pode e nem deve ser criado, copiado uma Escola da Ponte. Devemos criar nossos próprios projetos, em seu tempo e em seu lugar. As escolas no Brasil podem sim, ser inspiradas na ponte.
Bastarão pessoas interessadas, instituições que queiram... Eu estarei disposto a contribuir...

FOI EMOCIONANTE, ASSIM O DIGA, QUEM ESTEVE POR LÁ, PARA OUVI-LO!!!!


A não-violência é uma atitude especificamente humana. Ela repousa no diálogo. Na compreensão e no conhecimento do outro. Na aceitação das diferenças. Na tolerância e no respeito mútuo. É motivada por um espírito de abertura e de reconciliação. Dalai Lama

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

EDUCAR E BRINCAR...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

TRAILERS - SLIDES - •Documentários, Entrevistas

EDUCAÇÃO - AMBIENTE - DESENVOLVIMENTO - POLÍTICA - ATITUDE - CULTURA 

NOSSOS MESTRES NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

A voz do autor no rádio...

Falar e ouvir... uma questão pessoal...

Um pouco de sua história...

Conversando com autores...

Tatiana Belinky, a escritora que queria ser Emília...

Histórias que nos acompanham...

PAI DA TURMA DA MÔNICA...

Uma contadora especial...

Histórias para ouvir e contar... O clássico mundial A Árvore Generosa.

A ARTE DE CONTAR HITÓRIAS...

A História Mais Longa do Mundo (adaptação)

História Marcelino Pedregulho (adaptação)

Divirtam-se... CRIANÇAS.

Projeto UCA

CAMINHO JOVEM... ESPERANÇA!!!!

Música com o corpo "Barbatuques"

"TEMPO...TEMPO...TEMPO... VOU TE FAZER UM PEDIDO"

O Ponto de Mutação de Fritjof Capra

A TEIA DA VIDA...

Educação Ecológica... Entevista com Capra.

Humberto Maturana e Ximena - Encontro... Reflexão... 1 de 8 vídeos

REPORTAGEM: Brincadeiras

Professora Vania Cavalari Psicomotricidade. ...

entre no site e assista a entrevista http://www.sabertv.net/portal/mediacenter/view/276/psicomotricidade/

POESIA DE AMOR...

texto "O direito de ser criança" de Ruth Rocha e som "Dias Melhores" de Jota Quest.

EDUCAR...

Limites...

<a href="http://video.msn.com/?mkt=pt-BR&amp;from=sp&amp;vid=0f517149-43f6-4d81-b88c-e520ef3b4d42" target="_new" title="Como lidar com o filhos dos outros">Video: Como lidar com o filhos dos outros</a>

Brincar é aprender...

Aprendendo sempre... PSICOMOTRICIDADE

http://www.animacorpus.net/psicomotricidade/

APRENDER E EDUCAR.

EDUCAR E BRINCAR... CRESCER...

Aprender...Educação Infantil.

Educar e aprender...

Infância- Tempo de construir valores...

Educar... filho faz por imitação...

Educar e aprender... Transformação...

Video = Ciência estuda o que e passa no cérebro dos bebês

Educar... Aprender...

EDUCAR E BRINCAR. APRENDER COM A NEUROCIÊNCIAS...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

A EMOÇÃO ESTAR NO AR....

MEU AMIGO BICHO!!!!!