sexta-feira, 2 de outubro de 2009

As comunidades de aprendizagem e o novo papel do professor

Pátio eNS
Ano XIII - Nº 51 - Educação Integral - Agosto
Francisco Imbernón

O projeto de inovação das comunidades de aprendizagem é uma alternativa possível à instituição escolar que pretende alcançar uma melhor e maior aprendizagem dos alunos e evitar que em uma sociedade democrática muitas crianças sejam excluídas socialmente

Os acontecimentos sociais do final do último quarto de século levaram a instituição educativa a uma crise. Se a escola padece de uma crise, os profissionais que nela trabalham também a compartilham. Por isso, muitos professores hoje estão desorientados sobre o seu papel. A escola não é mais o que era há alguns anos (nem pode ser), nem os professores têm o mesmo papel. Suas funções mudaram; portanto, é preciso mudar sua forma de trabalhar.

...


Origem e princípio pedagógico da inovação educativa
...

Quatro pontos de vista a considerar

Do ponto de vista social, a comunidade de aprendizagem é uma proposta orientada à construção de cenários educativos inovadores na escola, mediante a participação dos vários agentes sociais que formam a comunidade de aprendizagem: os alunos, a universidade, a escola, as equipes docentes, as famílias, a comunidade local, etc. Cada um desses agentes traz ao programa elementos valiosos, que contribuem para que este perdure a longo prazo.

Do ponto de vista acadêmico, o projeto de comunidades de aprendizagem busca essencialmente desenvolver habilidades socioafetivas, cognoscitivas e psicolinguísticas nos alunos mediante sua participação ativa em comunidades educativas, cujos membros realizam atividades demarcadas em um ambiente de aprendizagem. Esse programa oferece amplas oportunidades cotidianas para a interação social, a comunicação oral e escrita e a prática na solução de problemas de natureza diversa.

Do ponto de vista do processo de transformação, o projeto das comunidades de aprendizagem é construído mediante o desenvolvimento de uma série de fases, das quais participam de forma cooperativa e baseada no diálogo os diferentes agentes socializadores que intervêm no "ato educativo".

Do ponto de vista de formação, assessoramento e coordenação, o projeto das comunidades de aprendizagem está aberto à comunidade e deve ser entendido como tal. Esse projeto de inovação das comunidades de aprendizagem é uma alternativa possível à instituição escolar que pretende alcançar uma melhor e maior aprendizagem dos alunos e evitar que, em uma sociedade democrática, muitas crianças sejam excluídas socialmente.


Francisco Imbernón é professor do
Departamento de Didática e Organização
Educativa da Universidade de Barcelona.
fimbernon@ub.edu

LEIA NA ÍNTEGRA


CRIANÇAS...


Iguais são seus DEVERES E DIREITOS...

"Brincar é fundamental na infância por ser uma das linguagens expressivas do ser humano. Proporciona a comunicação, a descoberta do mundo, a socialização e o desenvolvimento integral"Adriana Friedmann

"Começar não é apenas um tipo de ação. É também um estado de espírito, um tipo de trabalho, uma atitude, uma consciência"
Edward Said

Educar

CULTURA

Tem brincadeira certa para cada idade?


A educadora Adriana Friedmann, autora dos livros A Arte de Brincar e Desenvolvimento da Criança através do Brincar, indica a melhor brincadeira para cada faixa etária




Foto: Mauricio Mello
Foto: brincadeiras

As crianças precisam de desafios, iniciação aos esportes, contato com a natureza e visitas a museus












02/10/2009 16:21

Texto
Marina Azaredo

Você já parou para pensar no que o seu filho faz quando está fora da escola? Assiste TV, pratica esportes, brinca com amiguinhos? Nas férias, nos fins de semana ou no contraturno, é natural que as crianças (e os pré-adolescentes, claro) queiram se divertir, mas os pais devem estar atentos às brincadeiras dos pequenos (e mesmo daqueles que não são mais tão pequenos), pois há atividades adequadas e inadequadas para cada faixa etária.

A educadora Adriana Friedmann, autora dos livros A Arte de Brincar eDesenvolvimento da Criança através do Brincar, explica que o "brincar" deve ter lugar prioritário na vida da criança. "Brincar é fundamental na infância por ser uma das linguagens expressivas do ser humano. Proporciona a comunicação, a descoberta do mundo, a socialização e o desenvolvimento integral", afirma.

De acordo com a educadora, o "brincar" é composto por vários elementos: uma estrutura (começo, meio e fim), os meios (como brincar), os fins (por que brincar), o conteúdo (a temática da brincadeira), as regras, o espaço, o tempo, os brinquedos, os parceiros e um comportamento lúdico (ações e reações daqueles que brincam). "Historicamente o homem sempre brincou, através dos diversos povos e culturas e no decorrer da história, sem distinção, nas ruas, praças, feiras, rios, praias, campos. Mas, ao longo do tempo, as formas de brincar, os espaços e tempos de brincar, os objetos de brincar e os brincantes foram se transformando", afirma Adriana Friedmann. Leia mais sobre a história da infância na reportagem O fim da infância.

Segundo a educadora, brincar sempre foi essencial para o ser humano, mas é uma ação que está perdendo seu espaço físico e temporal. Entre as causas dessa perda de espaço estão o crescimento das cidades, a ausência de locais públicos voltados para o lazer, o fato de as crianças terem muitas atividades extracurriculares, a falta de segurança e a inserção da mulher no mercado de trabalho, o que diminuiu o tempo das crianças perto da família.

Tudo isso provocou uma redução na quantidade de tempo que as crianças dedicam a brincadeiras. Para não deixar que o seu filho cresça sem saber o que são brincadeiras como esconde-esconde e amarelinha, é preciso que você entre em ação, acompanhe as atividades dele e incentive-o a brincar de forma saudável e adequada para a idade. A educadora Adriana Friedmann alerta: cada faixa etária exige um tipo diferente de brincadeira. Veja a seguir quais as atividades mais indicadas para cada idade e, depois, responda ao teste elaborado pela educadora para descobrir se você sabe incentivar o seu filho a brincar de forma saudável e educativa.

Para ler, clique nos itens abaixo:
A melhor brincadeira de 0 a 3 anos
A melhor brincadeira de 3 a 7 anos
A melhor brincadeira de 7 a 10 anos
A melhor brincadeira de 10 a 12 anos

SOU PROFESSORA...



"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino".
( Paulo Freire )

Declaramos nossa profissão, e com inúmeras dificuldades passamos a realizar nosso trabalho... todos os dias temos que exerce-la com amor, paixão, coragem, estudo, pesquisa, entusiasmo e responsabilidade.
... Não é bom... Sentir de tudo, a não credibilidade...dos que juntos...compartilhamos.

"Não fomos ensinados a suportar a angústia. Temos que saber e pronto.Ter conflito para nós é sinal de fraqueza, portanto, ou eu sei o que quero e imediatamente faço a minha opção e acerto, ou me declaro incapaz."


...


"Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes
brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda."

( Paulo Freire )


"Não posso ser professor se não percebo cada vez melhor que, por não poder ser neutro, minha prática exige de mim uma definição. Uma tomada de posição. Decisão. Ruptura. Exige de mim que escolha entre isto e aquilo".

"Só desperta paixão de aprender, quem tem paixão de ensinar."
Paulo Freire

...



Foto: Leo Drumond
Foto: 'Nossa Educação não é excelente, mas também não é de má qualidade para todos'

'Nossa Educação não é excelente, mas também não é de má qualidade para todos'






Nova-Escola

01/03/2008 15:09

Texto
Paulo Araújo

DIRETRIZES

A Educação ainda não é para todos

Segundo a vice-presidente de Educação da Unesco, Ana Luiza Machado, falta equiparar o ensino nas escolas e erradicar o analfabetismo de adultos




Há 12 anos, a educadora mineira Ana Luiza Machado acompanha de postos privilegiados os números da Educação nacional. Como chefe do escritório da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para a América Latina e o Caribe, ela pôde analisar, em Santiago, no Chile, o avanço do Brasil em relação aos vizinhos do continente em setores como a universalização do Ensino Fundamental. No início de 2007, mudou-se para Paris, onde assumiu a vice-presidência do programa de Educação do órgão para todo o planeta. Desde então, teve a oportunidade de comparar nosso desempenho com o de cerca de 200 nações. Ana Luiza coordena pesquisas sobre questões ligadas ao professor: carreira, formação, saúde e condições de trabalho, entre outras. Com base nesses dados, cria projetos em parceria com universidades e governos a fim de minimizar os problemas detectados. Recentemente, propôs que a Universidade Federal de Minas Gerais criasse um curso de formação de lideranças escolares. A idéia está em estudo. Nesta entrevista, ela comenta a posição do Brasil no mais recente relatório do Programa Educação para Todos (EPT).

Para ler a entrevista, clique nas perguntas abaixo:
Que imagem o mundo faz da Educação brasileira?
Mas continua ocupando as últimas posições de rankings internacionais.
É possível citar os principais fatores?
Por que há 72 milhões de crianças fora da escola em todo o mundo?
Isso não é um paradoxo para um país que está tão próximo de universalizar o Ensino Fundamental?
Que metas são essas?
No quadro geral da América Latina, qual é a situação do Brasil?
Quantos adultos analfabetos há no Brasil e no mundo? Por que é tão difícil resolver esse problema?
Como explicar a disparidade de sexos em nossas escolas?
Como os envolvidos com o ensino devem ajudar o país a cumprir as metas do Educação para Todos em 2015?
Por exemplo?
O mundo vai precisar de 18 milhões de novos professores até 2015 para universalizar o Ensino Fundamental. Onde estão essas pessoas?
Ana Luiza Machado: O desafio dos países não é saber onde elas estão, mas como atraí-las para uma carreira que precisa ter um plano de trabalho e de promoções bem definido, como ocorre nas demais áreas. O professor que está se formando hoje precisa ter certeza de que, ao ser contratado, será cobrado e também reconhecido pelo que faz. Esse último aspecto corresponde a uma das maiores reclamações dos mestres ouvidos na elaboração de um relatório recente da Unesco. O professor do futuro não pode ser mais aquele que só recebe determinações da coordenação pedagógica ou do diretor da escola, mas aquele indivíduo que também participa da tomada de decisões. Afinal, quando os estudos indicam que a Educação vai mal, ninguém tem dúvida: a culpa é sempre do professor. Será que é mesmo?
O que a senhora pensa dos contratos de trabalho temporários?
Quanto a Unesco recomenda que os países invistam em Educação?

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

EDUCAR E BRINCAR...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

TRAILERS - SLIDES - •Documentários, Entrevistas

EDUCAÇÃO - AMBIENTE - DESENVOLVIMENTO - POLÍTICA - ATITUDE - CULTURA 

NOSSOS MESTRES NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

A voz do autor no rádio...

Falar e ouvir... uma questão pessoal...

Um pouco de sua história...

Conversando com autores...

Tatiana Belinky, a escritora que queria ser Emília...

Histórias que nos acompanham...

PAI DA TURMA DA MÔNICA...

Uma contadora especial...

Histórias para ouvir e contar... O clássico mundial A Árvore Generosa.

A ARTE DE CONTAR HITÓRIAS...

A História Mais Longa do Mundo (adaptação)

História Marcelino Pedregulho (adaptação)

Divirtam-se... CRIANÇAS.

Projeto UCA

CAMINHO JOVEM... ESPERANÇA!!!!

Música com o corpo "Barbatuques"

"TEMPO...TEMPO...TEMPO... VOU TE FAZER UM PEDIDO"

O Ponto de Mutação de Fritjof Capra

A TEIA DA VIDA...

Educação Ecológica... Entevista com Capra.

Humberto Maturana e Ximena - Encontro... Reflexão... 1 de 8 vídeos

REPORTAGEM: Brincadeiras

Professora Vania Cavalari Psicomotricidade. ...

entre no site e assista a entrevista http://www.sabertv.net/portal/mediacenter/view/276/psicomotricidade/

POESIA DE AMOR...

texto "O direito de ser criança" de Ruth Rocha e som "Dias Melhores" de Jota Quest.

EDUCAR...

Limites...

<a href="http://video.msn.com/?mkt=pt-BR&amp;from=sp&amp;vid=0f517149-43f6-4d81-b88c-e520ef3b4d42" target="_new" title="Como lidar com o filhos dos outros">Video: Como lidar com o filhos dos outros</a>

Brincar é aprender...

Aprendendo sempre... PSICOMOTRICIDADE

http://www.animacorpus.net/psicomotricidade/

APRENDER E EDUCAR.

EDUCAR E BRINCAR... CRESCER...

Aprender...Educação Infantil.

Educar e aprender...

Infância- Tempo de construir valores...

Educar... filho faz por imitação...

Educar e aprender... Transformação...

Video = Ciência estuda o que e passa no cérebro dos bebês

Educar... Aprender...

EDUCAR E BRINCAR. APRENDER COM A NEUROCIÊNCIAS...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

A EMOÇÃO ESTAR NO AR....

MEU AMIGO BICHO!!!!!