terça-feira, 26 de maio de 2009

GRUPO ... IDÉIA... PSICOPEDAGOGIA

"...aquela idéia não é mais de ninguém em específico, é do grupo que trabalhou com ela, burilou, complementou e construiu algo que é de todos."...

 

PSICOPEDAGOGIA EM GRUPO, NO GRUPO E COM O GRUPO - PARA ALÉM DA PATOLOGIZAÇÃO

Laura Monte Serrat Barbosa


De 09 a 11 de Julho acontecerá na UNIP o 8˚ Congresso Brasileiro de Psicopedagogia em São Paulo, você falará sobre “Psicopedagogia em grupo, no grupo e com o grupo - para além da patologização” . O que a prática psicopedagógica em grupo se diferencia da individual?

...

Que mensagem deixa aos congressistas, participantes e a todos os psicopedagogos?
Termino esta entrevista deixando como mensagem um trecho do texto que preparei para este Congresso. Espero que todos pensem sobre a importância do grupo, não só em nossa ação profissional, mas também em nossas vidas:

“Grupo, pessoas... pessoas, grupo... encontro que gera um movimento fantástico: uma idéia passa por outras mentes e outras bocas e de vagarinho vai transformando-se, tanto pelo passeio feito no interior do grupo, quanto pelas mudanças que ocorrem dentro de quem a lançou. Outras formas de ver são trazidas, novos ângulos de análise contribuem e, de repente, aquela idéia não é mais de ninguém em específico, é do grupo que trabalhou com ela, burilou, complementou e construiu algo que é de todos. O espírito do grupo é este, transcender o individual, oportunizar a percepção e a vivência de todos como parte de um todo, como representante deste todo, ao mesmo tempo como sujeito. 
Mas, para esta transcendência faz-se necessário um percurso que não é suave, nem fácil, nem romântico. A vivência em grupo não é mágica, e sim exige muitas transformações e, portanto, muita dor.
Quando pessoas se agrupam, não se caracterizam um grupo apenas por este fato. Agrupar-se é o primeiro passo, mas para chegar-se à vida grupal o caminho é longo: é preciso superar a confusão que muitas pessoas juntas provocam no exercício de descobrir quem é quem; é preciso discriminar as características individuais, perceber semelhanças e diferenças entre idéias, gostos, formas de expressão, valores e muito mais; e sobretudo é necessário fazer articulações para que as características pessoais possam, como a exemplo de uma orquestra, harmonizarem-se para realizar a tarefa a que o grupo se propôs.
Aprender em grupo supõe troca de experiências, de idéias, de sentimentos e sobretudo, mudanças internas e externas pessoais e conjuntas; aprender no grupo supõe aprender a vincular-se passando pelos momentos de confusão, de dissociação e de integração, ou seja aprender no grupo, o que é grupo e o que se faz em grupo; aprender com o grupo nos leva a aprendizagens de novos conhecimentos e de novas formas de abordar a tarefa subjetiva e objetiva. 
A psicopedagogia, neste caso, objetiva proporcionar aos aprendizes aprender a pensar, a tecer o saber, a transcender a dimensão individual para desenvolver a construção coletiva do conhecimento. Desta forma, aprender deixa de ser “todos fazendo a mesma coisa no mesmo momento, da mesma maneira” - o grupo possui uma tarefa comum e todos devem contribuir com o que sabem para sua efetivação.”

Leia a entrevista

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

COMISSÕES
26/05/2009 - 11h39
Começa reunião da Comissão de Educação

Já foi iniciada pelo senador Flávio Arns (PT-PR) a reunião de hoje da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), para apreciação de propostas legislativas. Entre elas, projeto do Senado que condiciona o recebimento da Bolsa-Escola à participação dos pais nas reuniões escolares. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) é o autor do projeto, que tem decisão terminativa na CE.

Mais informações a seguir

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

PONTO DE VISTA...

Cada Um de nós... UM OLHAR SOBRE A REALIDADE... A REALIDADE DE QUEM OLHA, NÃO É A MESMA DE QUEM VIVE A VIDA DO JEITO QUE ELA É...
25/05/2009 - 12:54 - ATUALIZADO EM 25/05/2009 - 13:21
"As pessoas não conhecem a fome a fundo"
O diretor de Garapa, José Padilha, diz a ÉPOCA por que decidiu retratar a história de famintos. "Lula, Obama, Sarkozy sabem das estatísticas e deste problema vergonhoso. Eu quis fazer um filme sobre famílias brasileiras que representam a fome global."
JULIANA RESENDE
André Valentim
ENVOLVIMENTO
José Padilha diz que envia dinheiro às famílias protagonistas do documentário por meio de uma ONG

Diretor do sucesso Tropa de Elite, José Padilha diz a ÉPOCA como foi rodar Garapa, um documentário sobre a vida de três famílias que sofrem com a fome no Ceará, com estreia nesta semana nos cinemas. "Aquelas pessoas não têm projeto. A fome tira o horizonte do ser humano e afeta seu modo de pensar", afirma Padilha. Segundo ele, o objetivo de vida de uma das mães retratadas no longa era conseguir um pão no dia seguinte.

ÉPOCA - Você acredita que a "politização" da fome, incluindo o Bolsa-Família, seja um caminho para a resolução do problema? 
José Padilha -
 Acho que sim e tenho calafrios quando as pessoas vêm com a visão simplista de que o Bolsa-Família é transferência de renda e, por isso, está fadado ao fracasso. Ora, no Brasil sempre houve transferência de renda do pobre para o rico, por meio do sistema financeiro, que pratica juros exorbitantes. Então, dizer que o benefício só prolonga o sofrimento do necessitado é adotar o pensamento de Schopenhauer, com o qual ele justificava por que não dava esmola. Acho que esses 11 milhões de brasileiros precisam de mais atenção, com políticas públicas mais adequadas. Há dinheiro – cortar os gastos do Congresso pode ajudar a somar mais recursos, por exemplo. 

ÉPOCA - O que falta no mundo e no Brasil seria, então, vontade política para erradicar a fome? 
Padilha
 - Sim. O mundo investe mais em armamentos do que em programas para combater a fome. Lula, Obama, Sarkozy sabem das estatísticas e deste problema vergonhoso. Eu quis fazer um filme sobre famílias brasileiras que representam a fome global. Segundo dados da ONU, 1 em cada 6,5 habitantes do mundo é subnutrido. Há dinheiro para isso. Não filmei algo escondido no canto de uma sala que alguém, de repente, acha. O que acho é que as pessoas não conhecem isso a fundo. 

...

"ÉPOCA - O que o governo brasileiro achou do seu filme? 
Padilha -
 Acho que o governo ainda não viu meu filme. Mas espero que tenha visto. Toda vez que alguém sugere sofisticar o Bolsa-Família e transformá-lo num programa melhor – valor da ajuda de acordo com a necessidade, condicionar ajuda à educação, etc –, vem outro para condenar o programa. O problema é que estamos pedindo isso ao governo – será que ele está capacitado? 

Qual o projeto de educação do Brasil? "

...

Leia a entrevista completa...http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI74362-15220,00-AS+PESSOAS+NAO+CONHECEM+A+FOME+A+FUNDO.

http://revistaepoca.globo.com

ATITUDE!!!!!

 UMA DECISÃO INDIVIDUAL, MAS TAMBÉM COLETIVA.
Tornar nossos hábitos mais saudáveis, mais ricos e prazerosos no dia a dia é uma questão de atidude...


Ryuhei Shindo / Getty Images

ESCUTA ESSA

Divã coletivo

A rede social youbliss propõe a troca de histórias entre as pessoas, encorajando-as a falar de conquista e dificuldades

Esses dois aí na foto acima, entre um gole de chá e outro, estão absolutamente encantados com o que alguém acabou de contar. Pode reparar: passamos boa parte da vida trocando confidências, compartilhando histórias com os outros. E nem nos damos conta da importância desse hábito humano ancestral. "Contar e ouvir histórias propicia, por alguns momentos, o alívio das nossas dores emocionais e até mesmo físicas", diz a psicóloga Yooko Suyama, diretora da Associação Viva e Deixe Viver, que reúne voluntários que contam histórias em hospitais. Além de conduzir a atenção para a narrativa, e não mais para os nossos sofrimentos, as histórias nos fornecem outra perspectiva de nossa própria condição. 

Quando compartilhamos histórias, conhecemos outros mundos, ampliamos nossas referências e nos conhecemos melhor. Tanto é que, hoje em dia, o bate-papo entre amigos ganhou um espaço muito maior que a sala de visitas: a internet. Essas são as funções das redes sociais, como a recém-lançada YuBliss, site que propõe a troca de histórias entre pessoas que as encorajem a lutar pela sua felicidade. "Um dos significados de bliss é bem-aventurança, isto é, aquilo que preenche o seu coração, que está alinhado com sua essência e o que te faz feliz", diz o brasileiro John Lima, o criador do site. A ideia é estimular as pessoas a falarem de suas conquistas e dificuldades. Resume Chico Abelha, parceiro de John na empreitada: "É uma espécie de divã coletivo informal". 

Conheca algumas associacões de contadores de histórias

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/conteudo_470246.shtml

segunda-feira, 25 de maio de 2009

DICAS...

UM PASSEIO PELO MUNDO... LIVROS, VÍDEOS E MUITO MAIS...



ABC VERDE
Alfabetização ecológica - A educação das crianças para um mundo sustentável
A obra reúne vários artigos e ensaios sobre o interessante trabalho realizado pelo Centro do Eco-Alfabetização, em Berkeley, na Califórnia, Estados Unidos
Por Dante Grecco
O livro não oferece leitura fácil e está muito alicerçado em experiências realizadas nos Estados Unidos, que, como se sabe, guarda muitas diferenças em relação ao Brasil, principalmente na área de educação. Mas, mesmo assim, a obra pode ser de grande valia para educadores e ambientalistas em busca de boas idéias sobre como embasar novas formas de "alfabetização ecológica".
Leia  o artigo completo
VISITE A PÁGINA

DESAFIOS NA EDUCAÇÃO DE TODOS...

O modelo que  se ensina, se aprende...  e se aprendemos também ensinamos... elos de comunicação que precisam ser criados em casa, na escola, na comunidade... em modelos da educação que  queremos... da sociedade que viveremos... e juntos construiremos.


Um novo olhar

Postado em 23 de maio de 2009 por Valeska Andrade

Emoção. Essa foi à palavra que minha amiga Maria Teresa definiu ao relatar as experiências que está tendo com seus filhos: Maria Clara e Carlos Neto.

Ela me contou que os meninos estão estudando numa escola construtivista e que, pela primeira vez, no dia das mães, não estava somente sentada na plateia observando todas as homenagens pensadas pelos educadores e executada pelos educandos. A plateia era o mundo! Estava ela com seu filho no colo. Os dois eram palco e plateia ao mesmo tempo!Trocavam de posição, transformavam-se, valorizando cada um, suas especificidades, para crescerem juntos. E como ela estava radiante com a possibilidade de aprender com seu filho! E como ele aprendia cada vez com ela.

Esse é um dos grandes desafios da educação: tornar o aprendizado uma ação em que o educador constrói uma proposta de trabalho junto ao educando, lançando as ferramentas para a concretização das ações, mas, quem edifica o conhecimento é o educando.

Os pais também precisam ser educados nesse modelo de participação escolar. Afinal, foram anos e anos com uma única função: entregar seus filhos na porta da escola e esperá-los em casa lindos, inteligentes e prontinhos para o mundo! Como se eles (os pais), não tivessem nenhuma obrigação a mais. A escola já era muito cara!

joaninha2Maria, além de mãe, é uma excelente profissional. Gerencia o coração do jornal, que é o Banco de Dados. Eu aprendo todos os dias também com ela.

http://blog4.opovo.com.br/educacao/um-novo-olhar/

O POVO online BLOG>EDUCAÇÃO

Edital do Concurso Público para Professores Efetivos em fase de finalização

Postado em 25 de maio de 2009 às 15:51 por Valeska Andrade

Atenção educadores! A Secretaria Municipal de Educação (SME) informa que está finalizando até a próxima semana o Edital do Concurso Público para professores efetivos. As vagas são destinadas ao Ensino Infantil, Ensino Fundamental do 1º ao 5º ano (Pedagogo) e do 6º ao 9º ano (Área Específica).

concursos1O lançamento do Edital foi programado para logo após a finalização do processo de lotação dos profissionais nas unidades escolares da Rede Municipal de Ensino, o que permitiu determinar com precisão a necessidade e o número de vagas.

De acordo com a secretária de Educação, Ana Maria Fontenele, o concurso atende ao previsto no Plano Municipal de Educação e foi incluído no Programa de Governo pela Prefeita Luizianne Lins. A secretária também lembra que para ingressar como Professor, na Prefeitura Municipal de Fortaleza, é necessário ter nível superior (licenciatura plena em pedagogia ou, em áreas específicas, conforme o nível de ensino e descrição das vagas). Aguarde!

Fonte: www.sme.fortaleza.ce.gov.br

Categoria: Dicas de atividadesEducação | Comentários: Comente

http://blog.opovo.com.br/educacao/

NOTÍCIAS... ESCOLAS.

MEC sugere ao CNE diretrizes para o meio ambiente

11.05.2009

O MEC encaminhou ao CNE sugestão de texto para o estabelecimento de Diretrizes Curriculares Nacionais relacionadas à educação ambiental.

Segundo informações da coordenadora geral de Educação Ambiental do MEC, Rachel Trajber, o texto encaminhado contém orientações para todos os níveis e modalidades de ensino, de acordo com o que determina a legislação.

Leia mais

Meio ambiente na escola: quanto mais cedo melhor, diz José Alexandre Diniz Filho

11.05.2009

Professor titular da Universidade Federal de Goiás (UFG), desde 1996, José Alexandre Felizola Diniz Filho é chefe do Departamento de Ecologia, do Instituto de Ciências Biológicas. Doutor em Zoologia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), é pesquisador do CNPq e coordenador adjunto da área de ecologia e meio ambiente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, do Ministério da Educação, (Capes/MEC).

De acordo com o professor Diniz Filho, quanto mais cedo o tema meio ambiente for abordado na escola, melhor será. Em sua opinião a escola deve ser usada, em todos os níveis, para tentar reverter ou minimizar os efeitos da crise ambiental. E acredita que o principal problema, atualmente, é a formação científica dos profissionais na área ambiental, principalmente no sentido de distinguir questões científicas de ideológicas ou puramente emocionais.

...

JP – Em sua opinião, o tema deve ser abordado na escola, tanto no ensino infantil quanto no ensino fundamental, médio e até superior?

DF – Sim, claro, e quanto mais cedo melhor, embora a forma de abordar o problema tenha que ser, obviamente, diferente em cada nível. Em níveis mais básicos, acho que o mais interessante seria chamar atenção dos alunos para os problemas ambientais e mostrar potenciais soluções (acho que, em diferentes graus, isso vem acontecendo). À medida que o aluno passa para o ensino médio (e principalmente o superior) seria preciso mostrar como essas questões podem ser compreendidas sob um ponto de vista científico, tanto em termos de suas origens como de suas possíveis soluções (isso, infelizmente, ainda não acontece de modo geral).

ENTREVISTA completa no site:

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/journalContent.action?editionId=20&categoryId=8&contentId=483



EDUCAÇÃO INFANTIL...

MEC lança “Indicadores da qualidade na educação infantil”
Autor: Undime

Data: 19/5/2009

O Ministério da Educação acaba de publicar um passo-a-passo, que vai orientar as instituições de educação infantil do país a realizarem sua auto-avaliação e a elaborarem um plano de ação, juntamente com a comunidade escolar. O documento foi lançado durante o 12º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, promovido pela Undime, de 4 a 7 de maio, em Curitiba - PR.

Intitulada “Indicadores da qualidade na educação infantil”, a publicação é resultado da elaboração conjunta entre o Ministério da Educação, Ação Educativa, Fundação Orsa, Undime e Unicef. Além disso, contou com um grupo técnico, formado por representantes de entidades, fóruns, conselhos, professores, gestores, especialistas e pesquisadores da área. 
Foram incorporadas ao texto, sugestões oriundas de oito seminários regionais. A versão atual foi testada em instituições de educação infantil, públicas e privadas, de nove estados brasileiros.

domingo, 24 de maio de 2009

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

FAZENDO COM AMOR!!!!!!

EDUCAR E BRINCAR...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

TRAILERS - SLIDES - •Documentários, Entrevistas

EDUCAÇÃO - AMBIENTE - DESENVOLVIMENTO - POLÍTICA - ATITUDE - CULTURA 

NOSSOS MESTRES NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

A voz do autor no rádio...

Falar e ouvir... uma questão pessoal...

Um pouco de sua história...

Conversando com autores...

Tatiana Belinky, a escritora que queria ser Emília...

Histórias que nos acompanham...

PAI DA TURMA DA MÔNICA...

Uma contadora especial...

Histórias para ouvir e contar... O clássico mundial A Árvore Generosa.

A ARTE DE CONTAR HITÓRIAS...

A História Mais Longa do Mundo (adaptação)

História Marcelino Pedregulho (adaptação)

Divirtam-se... CRIANÇAS.

Projeto UCA

CAMINHO JOVEM... ESPERANÇA!!!!

Música com o corpo "Barbatuques"

"TEMPO...TEMPO...TEMPO... VOU TE FAZER UM PEDIDO"

O Ponto de Mutação de Fritjof Capra

A TEIA DA VIDA...

Educação Ecológica... Entevista com Capra.

Humberto Maturana e Ximena - Encontro... Reflexão... 1 de 8 vídeos

REPORTAGEM: Brincadeiras

Professora Vania Cavalari Psicomotricidade. ...

entre no site e assista a entrevista http://www.sabertv.net/portal/mediacenter/view/276/psicomotricidade/

POESIA DE AMOR...

texto "O direito de ser criança" de Ruth Rocha e som "Dias Melhores" de Jota Quest.

EDUCAR...

Limites...

<a href="http://video.msn.com/?mkt=pt-BR&amp;from=sp&amp;vid=0f517149-43f6-4d81-b88c-e520ef3b4d42" target="_new" title="Como lidar com o filhos dos outros">Video: Como lidar com o filhos dos outros</a>

Brincar é aprender...

Aprendendo sempre... PSICOMOTRICIDADE

http://www.animacorpus.net/psicomotricidade/

APRENDER E EDUCAR.

EDUCAR E BRINCAR... CRESCER...

Aprender...Educação Infantil.

Educar e aprender...

Infância- Tempo de construir valores...

Educar... filho faz por imitação...

Educar e aprender... Transformação...

Video = Ciência estuda o que e passa no cérebro dos bebês

Educar... Aprender...

EDUCAR E BRINCAR. APRENDER COM A NEUROCIÊNCIAS...

PROJETO RESGATE DA PSICOMOTRICIDADE ATRAVÉS DOS RECURSOS NATURAIS.

A EMOÇÃO ESTAR NO AR....

MEU AMIGO BICHO!!!!!